Prezados visitantes

Todo o conteúdo deste blog, tais como textos, fotos, vídeos e documentos, é salvo em DVD, razão pela qual estão numeradas as postagens.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

233- O ÚLTIMO CARRO RIO DOCE

Prezados visitantes, saudações!

É de conhecimento de todos aqui, ou da maioria, que o Trem Rio Doce da E. F. Vitória a Minas existiu, de 1954 à 1983 (há quem diga que até o início do ano de 1984) e que seus remanescentes carros Santa Matilde, na cor original vinho-avermelhado com o teto e a faixa da janela prateado, continuaram no Expresso Vitória a Minas, de prefixo P-21, de Vitória a Itabira, uma vez que, a partir de 1984, o Noturno não mais existia e Belo Horizonte - MG, ficou sem o trem de passageiros por 10 anos, até a sua volta em 1994. Pois bem, de 1985 até pelo menos 1991, os carros Santa Matilde em sua cor original Rio Doce, ainda eram vistos até o ano de 1991, juntamente com os demais Santa Matilde repintados na cor marrom com laranja. Bem, em 1991 passou o Expresso Vitória a Minas P-21, com destino a Itabira - MG, com o último Carro Rio Doce, como uma testemunha silenciosa da história, filmado numa reportagem de Edgar Rebouças - TV Capixaba, na Estação Pedro Nolasco, conforme mostra o vídeo abaixo.

Este foi, provavelmente, o último Carro Santa Matilde a ser visto em sua cor original Rio Doce, lembrando aos amigos que os marrom com laranja são os Rio Doce repintados e não novos carros. Uma outra coisa que me chamou a atenção de forma intensa, foi a saudosa e tão querida locomotiva G-12, cujo som da buzina, ressoa em nossa alma, trazendo-nos a lembrança dos tempos poéticos do Noturno Rio Doce. 

Reportagem de Edgar Rebouças - TV Capixaba, na Estação Pedro Nolasco
Editado no YouTube por Observatório da Mídia





Vejam o Carro Rio Doce na foto printada (print screen), com a seta vermelha apontando para ele.




domingo, 5 de maio de 2013

232- A SITUAÇÃO DA ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE NOVA ERA - MG HOJE, EM 2013

Prezados amigos!

Muito foi falado, aqui neste blog, acerca da cidade de São José da Lagoa - MG, posteriormente, Presidente Vargas - MG e finalmente, Nova Era - MG, a partir de 1942. Nova Era foi palco de grandes acontecimentos históricos, também já citados, a começar pela chegada, no seu município, em 1932, dos trilhos da Estrada de Ferro Vitória a Minas, em Desembargador Drumond e, quatro anos depois, no centro mesmo da cidade, a chegada dos trilhos da Estrada de Ferro Central do Brasil, em 1936. Tendo a Central do Brasil, a partir de 1937, construído o famoso Ramal de Ligação, que partiu de sua estação até os trilhos se ligarem aos da estação da Vitória a Minas em Drumond, por essa época, mais especialmente em 1938, teve início a famosa baldeação de passageiros, de uma ferrovia para a outra, fato este também conhecido da maioria de vocês, visitantes! Ali faziam correspondência os trens NF-1 e NF-2 da Central, com os PNT-1 e PNT-2 (posteriormente N-1 e N-2) da Vitória a Minas, de 1938 até 1954, quando o antigo trem da Vitória a Minas fora desativado, surgindo, em seu lugar, o famoso Rápido Vitória a Minas. O antigo trem da Central ainda perdurou por mais tempo, até o início dos anos de 1960, época que marcou o fim da baldeação, tendo a Central substituído os carros de madeira pelos primeiros carros de aço carbono. Por essa ocasião, o Rápido já vinha direto até Belo Horizonte, fato também já bastante conhecido. 

Bem, a troca de locomotivas, da U-20-C da RFFSA-SR2 para a G12 da CVRD e vice-versa, tanto na ida, quanto na volta, dentro mesmo da cidade de Nova Era, ocorreu até 1979 aproximadamente. Depois, a troca de locomotiva passou a ser em Santa Bárbara - MG e por fim, em Costa Lacerda, até a extinção do Noturno Rio Doce em 1983.

A partir de 1980, a estação de Nova Era fora fechada para passageiros e bem depois, em 1991, salvo engano, os trilhos foram retirados do perímetro urbano da cidade e a estação abandonada, desde então. mas, perguntar-me-eis, por certo: A linha férrea não pertencia à Central do Brasil? Eu responderia, sim, a linha originalmente pertencia à E.F.Central do Brasil, mas a CVRD, ao alugar o trecho de Nova Era à Costa Lacerda, de 1967 até 1987, com direito à compra, a partir de 1987 podia fazer o que bem entendesse, já que a linha pertencia a ela agora. Com a construção do Tunelão, o traçado antigo original, fora eliminado, por ter curvas muito sinuosas e o tunelão encurtou bem mais o caminho de transporte de minério de ferro da CVRD. A partir da década de 1990, a CVRD autorizou a retirada dos trilhos da antiga estação da Central, no perímetro da cidade. A estação ficou abandonada, por um período de tempo o qual não posso precisar, ainda. Até que seu prédio original, ainda na década de 90, passou a abrigar a Escola Municipal Estação Crescer, uma das mais importantes ou, talvez, a mais importante de Nova Era até hoje, 2013.

Bem, meus caros, para maiores informações e mesmo visualização da antiga estação construída pela Estrada de Ferro Central do Brasil, seguem, abaixo, fotos da mesma.




Foto de acervo histórico da Prefeitura Municipal de Nova Era - MG
Fonte: Departamento Municipal de Cultura e Turismo
Elvécio Eustáquio da Silva


Do lado esquerdo, a antiga estação ferroviária, hoje, Escola Municipal Estação Crescer.
Do lado direito, antigo depósito de cargas e materiais férreos. Note-se bem que, entre a estação e o depósito, há espaço suficiente para a existência de duas linhas, o mesmo do outro lado da estação.

Foto de acervo histórico da Prefeitura Municipal de Nova Era - MG
Fonte: Departamento Municipal de Cultura e Turismo
Elvécio Eustáquio da Silva



Novamente, a estação, mostrada por outro ângulo e de perfil. Observem o depósito de cargas atrás dela. Infelizmente, por falta de maiores informações, fica muito difícil dizer quantas linhas havia neste espaço em frente a estação. Supõe-se que haviam três linhas: uma para tráfego dos trens de passageiros e cargas e duas para manobras de locomotivas, carros e vagões. Existe um livro muito antigo denominado O RAMAL DE NOVA ERA. Este livro é acervo histórico e pessoal do meu amigo Paulo de Oliveira Cerezzo, ex gerente da General Elétric da região de Contagem - MG. Assim que eu tiver esse livro em mãos, poderei afirmar de forma inalienável isso ou aquilo, mas por enquanto, só mesmo suposições. Baseado na lógica, o espaço em frente a este lado da estação, é suficiente para três linhas de fato.


Foto de acervo histórico da Prefeitura Municipal de Nova Era - MG

Fonte: Departamento Municipal de Cultura e Turismo
Elvécio Eustáquio da Silva



Novamente a estação, com o depósito atrás, tendo o espaço, entretanto, sofrido pequena alteração, com a construção de uma cobertura, sem que, no entanto e graças a Deus, não se tenha alterado a estrutura e arquitetura original da estação! Mas isso, até por quanto tempo??? Pretendo realizar em breve, uma viagem à Nova Era, a fim de tentar registrar, bem de perto, os detalhes da estação e do depósito, se o acesso for fácil, claro. Só espero não chegar tarde demais e esbarrar com modificações nas estruturas dos mesmos, feitas por irresponsáveis, pessoas completamente ignorantes da importância de se preservar a originalidade de um patrimônio histórico e cultural.

Foto de acervo histórico da Prefeitura Municipal de Nova Era - MG
Fonte: Departamento Municipal de Cultura e Turismo
Elvécio Eustáquio da Silva


O antigo depósito de cargas da Estrada de Ferro Central do Brasil, que fica em frente à estação, hoje, parte da Escola Municipal Estação Crescer. Eu espero, sinceramente, que ele também não tenha sofrido nenhuma alteração na sua arquitetura original, desde 1980 mas, do jeito que são as coisas aqui no Brasil!!! 


Bem, meus prezados, é isso que queria mostrar para vocês, mais um pouquinho da emocionante história dessa magnífica estação ferroviária. Palco de encantadoras histórias, aventuras, quem dera essa estação soubesse falar, para contar os célebres acontecimentos que presenciou ao longo de sua história, sua vida!
Fica a incontida dor da saudade em meu coração e nos corações daqueles que compartilharam os mesmos momentos!