Prezados visitantes

Todo o conteúdo deste blog, tais como textos, fotos, vídeos e documentos, é salvo em DVD, razão pela qual estão numeradas as postagens.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

254- ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE NOVA ERA, O FIM DO MISTÉRIO

Prezados visitantes, bem vindos!

Dando prosseguimento ao tema de Nova Era - MG e sua já conhecida e magnifica estação ferroviária, aliás, estação histórica e com singulares acontecimentos marcantes, devo lembrar que, mesmo tendo sido descoberto muitas coisas, ainda assim continuava a existir certo mistério cercando sua história. Parte desse mistério, pelo menos para mim, era a malha férrea do seu pátio, a sua configuração, quantidade de linhas e etc.

Bem, os que chegaram até aqui e tem acompanhado meus trabalhos, sabem que recentemente estive em Nova Era, em especial, na estação, que hoje abriga a Escola Municipal Estação Crescer e lá, tirei fotografias e colhi preciosas informações, uma vez que estive, também, no SINDICATO DOS FERROVIÁRIOS de lá, que fica próximo à estação. Agradeço em especial ao meu amigo Rubens Ramalho, pelas informações que me passou, tendo-as obtidas de ferroviários aposentados da APOSVALE e de seu próprio pai, o senhor José Carlos, chefe de trem e posteriormente inspetor da EFVM, aposentado. Graças a isso, fui capaz de localizar com detalhes o traçado original da malha férrea do pátio da estação de Nova Era e o refiz em um esquema que segue abaixo. Vejam o esquema com bastante atenção e identificaram todo o movimento de trens de passageiros que ocorria ali, tanto na época da baldeação, quanto na época das trocas de locomotivas.




ESQUEMA DE LINHAS DO PÁTIO DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE NOVA ERA

Linha 1 em vermelho: Primeira linha a ser construída pela Estrada de Ferro Central do Brasil em 1936.

Linha 2 em amarelo: segunda linha a ser construída pela EFCB.

Linha 3 em azul: terceira linha a ser construída pela EFCB

Linhas 4 em azul: quarta linha a ser construída - Linha posterior para manobra de locomotivas.

Linha 5 em rosa: segundo informações do amigo Rubens Ramalho, a Linha 5 dava acesso à oficina ferroviária da EFCB com divisões de serviço para a EFVM.

AMV 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8: chaves de desvio de uma linha para outra. Foram construídos pela EFCB em ordem crescente de números e cronologicamente. 


Nos tempos da baldeação

O antigo trem da Central, de prefixo NF-1 vinha de Belo Horizonte na Linha 1 (em vermelho) e, passando pelo desvio AMV-1,  estacionava na plataforma de embarque. Os passageiros que viajavam com destino à Vitória, desembarcavam do NF-1 e se dirigiam para o trem da Estrada de Ferro Vitória a Minas de prefixo PNT-2, do outro lado da estação, na Linha 3. Assim que os passageiros embarcavam no PNT-2, este partia com destino à Vitória.

Na volta, de Vitória para Belo Horizonte, o trem da Vitória a Minas agora com prefixo PNT-1, vinha na Linha 1 e entrava depois na Linha 3 através dos desvios AMV-8 e AMV-4 e AMV-6. O trem da Central, agora de prefixo NF-2, estava na Linha 1, aguardando os passageiros que desembarcavam do PNT-1. Assim que os passageiros embarcavam no NF-2, este partia para Belo Horizonte.

Interessante era o caso dos Leitos da EFCB, tanto os PD-8 e PD-9, quanto os O-130 e O-131. Quanto o Noturno de Nova Era NF-1 vinha de Belo Horizonte, já vinha com o Leito engatado na composição, entrava na Linha 1 através dos AMV-1 e AMV-3. Ao estacionar na plataforma de embarque, o Leito era desengatado do trem da EFCB. Uma locomotiva, provavelmente uma Teen Weeller a vapor, saia da Linha 4 ou Linha 5, avançava até o AMV-3 e voltava na Linha 1, engatando no Leito. Depois a locomotiva com o Leito engatado, voltava para o AMV-3, passava pelo AMV-5 e entrava na Linha 3 engatando o Leito no trem da EFVM, PNT-2. Este, após essa operação, partia levando o Leito até Governador Valadares - MG, onde o mesmo ficava.

Na volta, de Vitória para Belo Horizonte, era praticamente o mesmo processo. O trem da Vitória a Minas, agora com prefixo PNT-1, engatava o Leito em Governador Valadares e, ao chegar em Nova Era, entrava na Linha 3, onde o Leito era desengatado. A mesma locomotiva Teen Weeller, saia da Linha 4 ou Linha 5, passava pelos desvios AMV-6 e AMV-4, voltava de ré, engatava o Leito e avançava, depois, até aos desvios AMV-4 e AMV-2 e vinha de ré na Linha 1 e engatava o Leito no trem da EFCB, NF-2, que depois, seguia para Belo Horizonte. Essa manobra toda durava uns 20 minutos.


Quando terminou a baldeação e passou a ter a troca das locomotivas entre RFFSA e EFVM.

O Noturno Rio Doce da Estrada de Ferro Vitória a Minas com carros da RFFSA, vinha de Belo Horizonte e entrava na Linha 1, passando pelo AMV-1 e AMV-3. A locomotiva U-20-C da RFFSA-SR2 desengatava-se dos carros, ia até o desvio AMV-4, passava pelo AMV-2 e voltava na Linha 2. A locomotiva G-12 da Estrada de Ferro Vitória a Minas, que estava bem à frente, além dos desvios no sentido Vitória, vinha de ré na Linha 1 e em seguida passava pelos desvios, primeiro AMV 6, depois AMV 5 e finalmente AMV 4, engatando nos carros que estavam na Linha 1 e levando o trem em seguida até Vitória.
Na volta, de Vitória para Belo Horizonte, era praticamente a mesma coisa, porém, com a diferença de que o trem com a G12 vinha na Linha 1, passava pelos desvios AMV-8, AMV-4 e AMV-6 e entrava na Linha 3. Ao desengatar dos carros, a G12 avançava até o desvio AMV-5 e voltava na Linha 4. A U-20-C da RFFSA, que estava bem à frente, no sentido de Belo Horizonte, vinha de ré, passava pelos desvios AMV-7. AVM-1, AMV-3 e AMV-5 e engatava nos carros que estavam na Linha 3, levando o trem em seguida até Belo Horizonte.
Nessa época, já não existia mais a baldeação e o leito era desengatado somente em Valadares, de Belo Horizonte à Vitória e novamente engatado em Valadares, de Vitória para Belo Horizonte.


Bem pessoal, este é o fim do mistério de Nova Era, pelo menos até o dia de hoje, 01/10/2015. A Linha 5 era uma Linha de acesso à oficina ferroviária da EFCB com divisão de serviço para a EFVM. Portanto, aí está, toda a história dessa maravilhosa cidade de Nova Era revelada, depois de tanto tempo! Tempos de glória de nossa tão querida e saudosa Estrada de Ferro Central do Brasil!



Um comentário:

  1. Na minha infância fiz uma viagem de leito que saiu a noite de Belo Horizonte, passamos a noite inteira viajando e de manhã fomos acordados para o desembarque: quando achei que estava chegando em Vitória estava chegando em Nova Era!! Lembrança de criança confunde, não sei se o trem quebrou e atrasou, se na verdade estávamos chegando em Valadares...Só sei que essa viagem longa, cansativa é uma das melhores lembranças da minha infância.

    ResponderExcluir